Queda nas doações de órgãos durante a pandemia de Covid-19

Queda nas doações de órgãos durante a pandemia de Covid-19

O número de transplantes realizados no Rio Grande do Sul em 2020 registra queda devido à pandemia de Covid-19. 

A Central de Transplantes do Rio Grande do Sul, vinculada à Secretaria Estadual da Saúde (SES), sinaliza o crescimento da fila de espera por doações de órgãos e tecidos, que registrou, até agosto, 1.599 pacientes.

A campanha ‘De Setembro a Setembro’, lançada em parceria com o Cremers e outras entidades, incentiva o debate sobre a importância de estimular as famílias a conversarem sobre o tema, não apenas em setembro, mas em todos os meses do ano.

Os indicadores mostram queda maior no número de transplantes de coração, pulmão, pâncreas e córneas. O Sistema Único de Saúde (SUS), onde é realizado grande parte dos transplantes, alerta para a redução no número de doadores efetivos, passando de 23% a 11%, de janeiro a agosto de 2020, respectivamente.

O Cremers atua como parceiro na divulgação de campanhas para alertar as famílias sobre a importância de se declarar doador ainda em vida. Reitera que a capacitação dos médicos para diagnosticar corretamente a morte encefálica (requisito para a doação de órgãos) é fundamental.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos, José Huygens Parente Garcia, a redução no número de transplantes por medo da Covid-19 está provocando até mesmo um aumento da demanda por hemodiálise. De acordo com a coordenadora da Central de Transplantes, Sandra Coccaro, é preciso trabalhar a informação, desmitificar questões referentes à doação e sensibilizar a população por meio do diálogo.

Associação Brasileira de Transplantes disponibiliza no site os principais Centros de Transplantes do RS (https://bit.ly/2ZR7c7g). Seja um doador!