Dobra número de profissionais que deixam Mais Médicos

Dobra número de profissionais que deixam Mais Médicos

Nos primeiros sete meses de 2015, 337 médicos abandonaram o programa, média de 1,6 por dia; desde que foi lançado, em 2013, e em todo o ano passado, 361 profissionais desistiram, média de 0,75/ dia. Não houve aumento correspondente de contratados.

O programa Mais Médicos do governo federal completa dois anos de funcionamento efetivo na enfrentando um aumento no número de desistências.

Conforme reportagem do Jornal O Estadão, nos primeiros sete meses do ano, 337 médicos abandonaram o programa, segundo o Ministério da Saúde, média de 1,6 por dia.

Desde que o programa foi lançado, em 2013, e em todo o ano passado, 361 médicos deixaram o programa ­ média de 0,75 por dia.

Os números não incluem a saída de 76 médicos cubanos em todo o período, o que eleva o total de evasão para 774 profissionais.

De acordo com o Ministério, os desistentes representam uma parcela pequena, ante 18,2 mil médicos que permanecem no programa, dos quais 11,4 mil cubanos. A maioria dos que saíram já teve as vagas ocupadas por outros profissionais convocados pelo governo.

O Ministério atribuiu o crescimento da deserção em 2015 à maior rotatividade entre os médicos brasileiros contratados pelo programa. Do total de desistentes neste ano, 335 são brasileiros, segundo a pasta. A aprovação na residência médica ou em concurso público está entre os principais motivos alegados para a saída. Ainda conforme o Ministério, os cubanos representam apenas 0,6% do número total de profissionais que deixaram o programa.